Internacional Exército do Paquistão terá amplos poderes judiciais durante eleição

Exército do Paquistão terá amplos poderes judiciais durante eleição

A medida incomum tomada pelas autoridades eleitorais do país tem causado preocupações entre partidos políticos e grupos de direitos humanos

Exército do Paquistão terá amplos poderes judiciais durante eleição geral

As eleições irão acontecer no dia 25 de julho

As eleições irão acontecer no dia 25 de julho

REUTERS/Khuram Parvez/2.9.2018

Autoridades eleitorais do Paquistão concederam amplos poderes judiciais ao poderoso Exército do país durante a eleição geral da próxima semana, em uma medida incomum que tem causado preocupações entre partidos políticos e grupos de direitos humanos.

A eleição do dia 25 de julho está sendo vista como uma disputa dupla entre o partido liderado pelo ex-astro de cricket Imran Khan e a legenda do agora preso ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, que tem acusado o Exército de trabalhar nos bastidores para favorecer Khan, o que ele nega.

Cerca de 371 mil soldados serão mobilizados por todo o Paquistão para proteger a eleição, número aproximadamente três vezes maior do que o empregado na última votação em 2013.

Em comunicado neste mês, a Comissão Eleitoral deu aos soldados a autoridade de um "magistrado", para realizar julgamentos imediatos de qualquer um que viole leis eleitorais e sentenciá-los no local.

Em um dos casos, pessoas podem ser condenadas a até seis meses de prisão se consideradas culpadas de "prática corrupta".

As Forças Armadas já tomaram o poder diversas vezes desde a independência do Paquistão em 1947 e governaram por quase metade da história do país.