Internacional Irmão de autor de ataque em Manchester é condenado a prisão

Irmão de autor de ataque em Manchester é condenado a prisão

Ataque suicida aconteceu depois de show de Ariana Grande na cidade, em 2017. Homem foi preso na Líbia e extraditado para o Reino Unido

  • Internacional | Da EFE

Irmão de autor de atentado é condenado

Irmão de autor de atentado é condenado

Greater Manchester Police/Handout via REUTERS

Hashem Abedi, irmão de Salman Abedi, autor do atentado suicida ocorrido em 2017, na cidade de Manchester, na Inglaterra, no qual 22 pessoas morreram, foi condenado nesta quinta-feira (20) por um tribunal britânico a 55 anos de prisão por sua participação no ataque.

No dia 22 de maio de 2017, após um show da cantora americana Ariana Grande, Salman Abedi cometeu um atentado suicida no qual 22 pessoas morreram, sete delas crianças, e outras 512 ficaram feridas.

Após o ocorrido, Hashem Abedi foi preso na Líbia e o Reino Unido solicitou sua extradição pelo seu possível envolvimento nos fatos, um processo que terminou com a condenação hoje.

A condenação

Ao ler o veredicto hoje no Tribunal Criminal de Old Bailey, no centro de Londres, o juiz Jeremy Baker considerou Hashem Abedi e seu irmão "igualmente culpados pelas mortes e ferimentos causados por aquela explosão".

"A realidade é que esses foram crimes hediondos, de grande visibilidade, com intenções mortais e consequências terríveis", acrescentou.

O magistrado frisou que, embora Salman Abedi fosse "o responsável direto" pelo atentado, "era claro que este acusado tinha uma participação integral no planejamento" e acrescentou que o motivo era promover a "ideologia do islamismo".

Após a decisão, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson disse que a condenação representa uma "oportunidade para refletir sobre a importância da tolerância, comunidade e bondade".

"O ataque à Arena Manchester foi um ato de violência horrível e covarde que atingiu crianças e famílias", disse Johnson em um comunicado.

O premiê afirmou que as vítimas "nunca serão esquecidas, nem o espírito do povo de Manchester, que se juntou para enviar um sinal claro ao mundo de que os terroristas nunca prevalecerão".

"Meus pensamentos estão com aqueles que sobreviveram e com os amigos e familiares das vítimas", disse.

Abedi, que morou em Manchester, foi considerado no mês de março no Tribunal de Old Bailey pelas mortes de 22 pessoas, tentativa de homicídio e conspiração para causar uma explosão capaz de colocar vidas humanas em perigo.

Antes de planejar o ataque, Abadi havia deixado o Reino Unido em 2017 se mudando para a Líbia ao lado de seu irmão Salman, antes que este voltasse sozinho para a Inglaterra e realizasse o ataque.

Últimas