Minas Gerais Estudo projeta 50 mil mortes por covid-19 em Minas até 1º de julho

Estudo projeta 50 mil mortes por covid-19 em Minas até 1º de julho

Pesquisa da Universidade de Washington, nos Estados Unidos prevê pico com mais de 400 mortes diárias no fim do mês

Estudo da Universidade de Washington prevê dobro de mortes em Minas em 3 meses

Estudo da Universidade de Washington prevê dobro de mortes em Minas em 3 meses

Divulgação/André Santos/Prefeitura de Uberaba

Um estudo realizado pelo Instituto de Avaliações e Métricas para a Saúde, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, estima que, nos próximos três meses, o número de vítimas da covid-19 em Minas Gerais deve, praticamente, dobrar. O estudo pode ser acessado neste link

A modelagem feita pelos pesquisadores prevê 50.542 óbitos até 1º de julho, de acordo com os indicadores disponíveis hoje. Nesta segunda-feira (5), o número de vítimas no Estado chegou a 25.713, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. 

Projeção de mortes pode variar entre 44 mil e 53 mil até 1º de julho

Projeção de mortes pode variar entre 44 mil e 53 mil até 1º de julho

Reprodução/Universidade de Washington

De acordo com o estudo, a projeção pode variar para um cenário melhor ou pior, de acordo com o percentual da população mineira que estiver usando máscaras ou fazendo distanciamento social, por exemplo. No melhor dos cenários, o total de vítimas até 1º de julho, pode ser de 44.347. Na projeção mais pessimista, o número de mortes pode ser de 53.457. 

Pico de mortes

O estudo da Universidade de Washington ainda estima que o pico diário de mortes em Minas Gerais pode ser atingido entre 23 de abril e 1º de maio, dependendo do cenário - mais ou menos otimista. 

No pior cenário, que considera menor uso de máscaras pela população e menor índice de isolamento social, por exemplo, o número diário de mortes pode chegar a 447 óbitos em 1º de maio. Atualmente, o índice de óbitos observado é de 237 mortes diárias, conforme o estudo. Nesse cenário, o número diário de óbitos cai paulatinamento e atinge o nível visto hoje somente no dia 7 de junho. 

No melhor dos cenários, em que toda a população utiliza máscaras, o pico de óbtos diários chega a 410 mortes diárias em 23 de abril. Conforme essa projeção, o índice de mortes por dia voltaria ao patamar atual 20 dias depois, em 13 de maio. 

Pico de mortes pode ocorrer entre 23 de abril e 1º de maio

Pico de mortes pode ocorrer entre 23 de abril e 1º de maio

Reprodução/Universidade de Washington

Recorde de mortes

Minas Gerais registrou recorde diário de mortes na última sexta-feira (1º), quando a Secretaria de Estado de Minas Gerais contabilizou 486 vítimas. No dia seguinte, foram 320 mortes.  

Conforme o último boletim epidemiológico, divulgado nesta segunda-feira (5), foram registradas 59 mortes e 2.604 casos. Os números que costumam ser divulgados no início da semana refletem um atraso nas notificações de testes positivos e óbitos, principalmente no interior de Minas, devido ao fim de semana. É esperado que, a partir de quarta-feira (7), os números de registros de mortes aumentem. 

Últimas