Minas Gerais Governo de MG intensifica ações contra raiva após casos no interior

Governo de MG intensifica ações contra raiva após casos no interior

Dois adolescentes contraíram a doença e uma criança também pode ter sido vítima, na zona rural de Bertópolis

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Doença pode ser transmitida por morcegos

Doença pode ser transmitida por morcegos

Reprodução / RecordTV Minas

O Governo de Minas Gerais intensificou as ações de combate à raiva humana após o surgimento de casos suspeitos e confirmados da doença no Estado nas últimas semanas.

Desde o início do mês, dois adolescentes de 12 anos tiveram diagnóstico positivo — um deles morreu. Agora, a Secretaria Estadual de Saúde investiga se a morte de um menino de 5 anos também foi causada pelo vírus transmitido por mamíferos como morcegos, cães e gatos. Todos são da zona rural de Bertópolis, a 640 km de Belo Horizonte, no Vale do Mucuri.

Uma equipe do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária) foi enviada para a cidade. Os técnicos avaliam se morcegos estão se alimentando de animais de produção da região e se há relato de mortes de animais com sintomas ligados à doença.

Para os humanos, entre outras ações, a SES-MG (Secretaria Municipal de Saúde de Minas Gerais) preparou a vacinação antirrábica para todos os moradores da zona rural onde os casos foram registrados. A previsão é que 1.037 pessoas sejam atendidas.

Cães e gatos da região também devem ser imunizados. O governo enviou cem doses do medicamento animal para a cidade. Segundo a secretaria de saúde, a quantidade é suficiente para a população estimada de animais da área rural que precisa ser atendida.

O governo também prepara palestras para conscientizar os servidores da saúde sobre as características da doença, além de realizar reuniões de monitoramento e alinhamento entre as secretarias de saúde estadual, de Bertópolis e o Ministério da Saúde. (Veja abaixo a lista completa de ações adotadas).

De acordo com a SES-MG, os pacientes dos dois casos confirmados foram mordidos por morcegos. O terceiro, ainda em investigação, não tem histórico de mordida e não apresentou sintomas da doença antes de morrer, mas a pasta resolveu investigar o óbito "em função da proximidade geográfica das ocorrências e dos hábitos da comunidade".

Ainda segundo dados da pasta, Minas Gerais não registrava mortes causadas por raiva humana desde 2012.

Conheça o perfil dos casos registrados em Bertópolis (MG):

1 - Menino indígena, de 12 anos. Morreu no último dia 4 de abril. (Caso confirmado)

2 - Menina indígena, de 12 anos, moradora da mesma tribo da primeira vítima. Foi internada no último dia 5 de abril, em Belo Horizonte. O estado de saúde se agravou e ela foi transferida para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) em 13 de abril, onde permanece até hoje. (Caso confirmado)

3 - Menino, de 5 anos. Morreu neste domingo (17). O governo não confirmou se ele também morava na mesma aldeia que os adolescentes dos dois primeiros casos. (Caso em investigação)

Veja a lista de ações adotadas pelo Governo de Minas:

— Investigação epidemiológica imediata dos dois casos. A investigação é realizada na localidade de ocorrência da exposição dos casos suspeitos, com busca ativa de pessoas que possam ter tido a mesma situação de risco dos casos suspeitos; e em seguida com o encaminhamento para atendimento médico profilático na localidade;

— Organização de reuniões periódicas para alinhamento e planejamento das ações de investigação dos casos e medidas de prevenção e controle da raiva, juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde de Bertópolis, já ocorridas, nos dias 6, 7 e 8 de abril de 2022;

— Organização e realização de reuniões com a equipe médica local, da SES-MG e do Ministério da Saúde para alinhamento das condutas dos atendimentos antirrábicos na localidade (8 de abril de 2022);

— Disponibilização de imunobiológicos para o tratamento profilático antirrábico humano (pós-exposição e pré-exposição, conforme o caso (vacina antirrábica e soro antirrábico);

— Organização e monitoramento de vacinação dos contactantes do primeiro caso para início imediato no dia 9 de abril;

— Organização e monitoramento de vacinação de pré-exposição de todos os moradores da localidade rural, totalizando em torno de 1.037 pessoas, para início também no dia 9 de abril de 2022;

— Disponibilização de cem doses de vacina antirrábica animal para vacinação de cães e gatos da localidade, conforme a população animal estimada para a área. A vacinação está sendo realizada na localidade, com objetivo de imunizar cães e gatos e, com isso, implementar ações de prevenção e controle da doença. Está sendo realizada pelos agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Bertópolis com início em 6 de abril de 2022.

— Monitoramento das ações de campo desenvolvidas pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) para ações de prevenção e controle da raiva na localidade. Este está na região, e realiza investigação epidemiológica, para verificar espoliações de morcegos em animais de produção, presença ou relato de mortes de animais com sinais clínicos neurológicos, bem como informações sobre a realização de vacinação antirrábica nesses. Foram realizados ainda contatos com produtores rurais, informando as formas de prevenção da raiva dos herbívoros.

— Realização de ações de educação em saúde na região com objetivo de alertar as pessoas sobre a doença e suas formas de transmissão, bem como as medidas de prevenção e controle da raiva.

— Destaque para a importância de procurar a unidade de saúde mais próxima para avaliação da necessidade de adoção de medidas profiláticas (administração de vacina e/ou soro) em caso de qualquer incidente com mamíferos silvestres ou domésticos, sobretudo morcegos, cães e gatos.

— Organização e realização de webinar para profissionais de saúde do estado de Minas Gerais sobre atualização do atendimento antirrábico humano agendado para o dia 19 de abril de 2022.

Últimas