Minas Gerais Prefeitura descarta fechar ruas com bares mais movimentados em BH

Prefeitura descarta fechar ruas com bares mais movimentados em BH

Fechamento de ruas e quarteirões para consumo com distanciamento ainda é avaliado; bares poderão reabrir entre sexta e domingo a partir do dia 4

Ruas movimentadas não serão fechadas em BH

Ruas movimentadas não serão fechadas em BH

Record TV Minas

As ruas de Belo Horizonte que, tradicionalmente, têm bares mais movimentados não serão fechadas, ao contrário do que a prefeitura cogitava. A informação foi confirmada pelo secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão de BH, André Reis.

Durante a coletiva de imprensa que confirmou as regras para a reabertura de bares e academias, o secretário afirmou que a prefeitura deve divulgar a lista de quarteirões que serão fechados na próxima semana, mas alguns locais já estão descartados.

— De forma alguma locais com propensão de "virar Carnaval" serão fechados. A proposta ainda está sendo analisada.

Veja: Academias vão reabrir em BH a partir da próxima semana

Proposta

A proposta de fechamento de ruas para que haja distanciamento entre os frequentadores dos bares, com a instalação de mesas nas ruas, foi apresentada durante uma reunião realizada entre representantes da prefeitura e do comércio da capital, no dia 21 de julho.

Cerca de 70 ruas e quarteirões estão sendo mapeados pela BHTrans (Empresa de Trânsito e Transporte Público de Belo Horizonte) e pela Secretaria Municipal de Políticas Urbanas.

Bares reabertos

A reabertura dos bares e restaurantes em Belo Horizonte foi confirmada na noite da última quarta-feira (27), após uma audiência entre a prefeitura, entidades do setor e membros do Tribunal de Justiça.

Pelo acordo firmado em audiência de conciliação, os estabelecimentos poderão funcionar entre sexta e domingo, a partir do dia 4 de setembro e com a venda de bebidas alcoólicas.

O funcionamento do setor se tornou uma batalha judicial. No fim de julho, o juiz Wauner Machado determinou a reabertura dos estabelecimentos, mas a liminar foi derrubada dois dias depois. Um mês depois, o mesmo juiz concedeu outra liminar que foi contestada pelo Executivo. Mesmo assim, alguns bares seguiram a decisão judicial e voltaram a funcionar.

*Estagiário do R7 sob a supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas