Minas Gerais Professores municipais de BH mantêm greve e marcam protestos

Professores municipais de BH mantêm greve e marcam protestos

Sindicato da categoria alega que não há estrutura para retorno das aulas presenciais na rede municipal, prevista para segunda (3)

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento e Célio Ribeiro*, do R7

Rede municipal retoma aulas presenciais na segunda

Rede municipal retoma aulas presenciais na segunda

Divulgação / PBH / Adão de Souza

O Sind-Rede BH (Sindicato dos Trabalhadores de Educação da Rede Pública de Belo Horizonte) decidiu, nesta sexta-feira (30), que vai manter a ‘greve sanitária’ contra o trabalho presencial por tempo indeterminado.

Segundo o sindicato, a categoria vai manter apenas as atividades remotas que já vinham acontecendo desde o início da pandemia.

A decisão, tomada em assembleia virtual, pode atrapalhar a retomada das aulas presenciais na rede pública municipal, marcada para a próxima segunda-feira (3). Segundo o sindicato, cerca de 60% dos professores teriam aderido à paralisação.

Os profissionais alegam que não há condições das escolas funcionarem com segurança, seja pela falta de insumos de higiene ou pelo "alto índice de contaminação" da covid-19.

O Sind-REDE BH organiza duas manifestações nos próximos dias. Na manhã de sábado (1º), Dia do Trabalhador, haverá um ato em defesa da educação e da preservação das vidas na Praça da Estação, no Centro de BH.

Já na segunda (3), também pela manhã, será realizado um novo ato simbólico pela defesa da vida dos trabalhadores da educação. Desta vez, o protesto será na porta da Prefeitura de Belo Horizonte.

A reportagem entrou em contato com o Executivo e aguarda posicionamento.

Greve sanitária

A paralisação foi anunciada no dia 20 de abril, 24 horas após a prefeitura confirmar a reabertura do comércio não essencial e o retorno das aulas presenciais para alunos de 0 a 5 anos. O sindicato alega que falta estrutura e insumos básicos de higiene nas instituições da capital.

Os profissionais afirmam que só irão voltar para as salas de aula quando a pandemia em Minas estiver “minimamente controlada”.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Pablo Nascimento

Últimas