Christina Lemos Afastamento da diretoria da Aneel pode atrasar solução no Amapá

Afastamento da diretoria da Aneel pode atrasar solução no Amapá

Justiça determinou, hoje, o desligamento provisório dos diretores da agência e do ONS pelo prazo de 30 dias

Alcolumbre está reunido agora com Bolsonaro

Alcolumbre está reunido agora com Bolsonaro

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 29.09.2020

A decisão da Justiça que retirou a diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) pode surtir efeito contrário ao pretendido para reestabelecer o fornecimento de energia elétrica no Amapá. É o que temem aliados do senador Davi Alcolumbre (DEM/AP), ala que rivaliza, na crise atual, com a comandada pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP).

Ao interromper o trabalho da Aneel e afastar toda a diretoria provisoriamente por 30 dias, a medida também pode levar à interrupção das medidas que estavam sendo tomadas às pressas para normalizar a distribuição de eletricidade no Estado. E tornar sem efeito a presença de Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia, que está hoje no Amapá.

Decisão judicial atendeu a pedido de Randolfe

Decisão judicial atendeu a pedido de Randolfe

Pedro França/ Agência Senado 01.02.2019

A questão levou novamente o senador Davi Alcolumbre a uma reunião às pressas com o presidente Jair Bolsonaro no início da tarde de hoje. O democrata também articula socorro financeiro às vítimas da crise no estado.

Aliados do senador Alcolumbre ressaltam que essa é a terceira decisão do juiz em favor de pleitos do senador da Rede, Randolfe Rodrigues.

A primeira foi determinar o retorno da energia em três dias. Depois, outra que obrigou o governo federal a prorrogar o auxílio emergencial no Estado. Por fim, o afastamento das diretorias Aneel e do ONS.

A expectativa é de recurso para derrubada de mais essa decisão do magistrado, a exemplo do que ocorreu nas situações anteriores.

Últimas