Christina Lemos Ciro Nogueira lidera ataques ao PT e ironiza aliança com Alckmin

Ciro Nogueira lidera ataques ao PT e ironiza aliança com Alckmin

Ministro da Casa Civil acusa petistas de esconder passado de 'causar espanto'. E diz que partido 'não irá pautar campanha'

Para Ciro Nogueira, PT tenta repetir estratégia de líder de esquerda eleito no Chile

Para Ciro Nogueira, PT tenta repetir estratégia de líder de esquerda eleito no Chile

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO-27/07/2021

Homem forte do governo Bolsonaro e fiador da aliança com o Centrão, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP/PI), assumiu a dianteira nos ataques ao principal adversário político do chefe: o Partido dos Trabalhadores. Em artigo publicado nesta terça (18), sem citar o ex-presidente Lula, o ministro acusa o PT de esconder a própria história recente e investir no “catastrofismo” e na “radicalização”, como “estratégia diversionista”. “Não será o PT que irá pautar a campanha presidencial”, declara.

Nogueira, que já foi aliado do PT na esfera federal e se valeu da força da legenda no Nordeste para manter sua influência regional, apresentou uma explicação para essa fase. “Apoiamos o que achávamos correto e, não fôssemos nós, muitas coisas que a legenda diz que fez sozinha não teriam acontecido”, afirma.

“Não venham falar de contradições em mudanças de posição”, antecipa-se Nogueira. E ironiza a possível escolha do ex-tucano Geraldo Alckmin para vice de Lula. “Alckmin é vendido como um salto de maturidade do partido. É mesmo, é?”, pergunta.

Para o titular da Casa Civil, os petistas tentam repetir a estratégia do recém-eleito presidente do Chile, Gabriel Boric, “radicalizar no primeiro turno para moderar no segundo”. A iniciativa do ministro ocorre num dos piores momentos para a popularidade do presidente Bolsonaro, que vê o crescimendo do adversário nas pesquisas e colhe resultados aquém do esperado dos programas de transferência de renda.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas