Christina Lemos Descumprir intervalo entre doses pode levar à punição de gestores

Descumprir intervalo entre doses pode levar à punição de gestores

Queiroga e secretários dão orientação expressa conjunta e tentam finalmente unificar o comando nacional para o combate ao coronavírus. Meta é barrar a variante Delta

Uma nota conjunta assinada na noite desta terça-feira é a primeira demonstração concreta de que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, finalmente acertou com os demais gestores da saúde pública nas esferas estadual e municipal uma coordenação nacional para a pandemia - encerrando uma disputa de mais de um ano e meio de causou prejuízos à população, inclusive mortes.

Ministro Queiroga: avaliar redução de intervalo entre doses de vacina  só após a imunização de toda população acima dos 18 anos

Ministro Queiroga: avaliar redução de intervalo entre doses de vacina só após a imunização de toda população acima dos 18 anos

Walterson Rosa/MS - 05.07.2021

O tom de comando unificado veio já na determinação expressa contida no primeiro parágrafo da nota, que lembrou as consequências legais do seu descumprimento. “Estados e municípios devem seguir, rigorosamente, as definições do Programa Nacional de Imunizações (PNI) quanto aos intervalos entre as doses e demais recomendações técnicas, sob pena de responsabilidade futura”. E continuou: “O sucesso da vacinação depende da atuação sinérgica, harmônica e solidária entre os níveis federal, estadual e municipal, além da colaboração imprescindível da sociedade civil e dos meios de comunicação.”

No comunicado, as três esferas deixam claro que o momento exige a cobertura da faixa mais ampla possível de adultos com a primeira dose da vacina. A medida representa uma significativa barreira para a propagação de cepas dos Coronavírus,  e tem se demonstrado eficiente para freiar a principal ameaça do momento, a variante Delta.

À redução do intervalo entre as doses da vacina da Pfizer será avaliada apenas depois que toda a população acima de 18 anos for imunizada, segundo especificou o ministro, por meio de rede social.

Últimas