Christina Lemos Discurso de Bolsonaro foi “mais do mesmo” e "não afastou mal-estar"

Discurso de Bolsonaro foi “mais do mesmo” e "não afastou mal-estar"

Manifestação sem incidentes e discurso presidencial sem novidades, no entanto, trouxeram alívio às esferas políticas em Brasília, que ainda acompanham desdobramentos do dia

Presidente Jair Bolsonaro discursa durante manifestação pelo 7 de Setembro: expectativa persiste

Presidente Jair Bolsonaro discursa durante manifestação pelo 7 de Setembro: expectativa persiste

Reprodução

Diante da tensão dos dias que antecederam as manifestações do Sete de Setembro e da expectativa negativa, os senadores que observam os acontecimentos políticos desta terça registram com alívio que o discurso do presidente Bolsonaro não apresentou novidades, além das tradicionais frases de efeito voltadas para os próprios eleitores. “Foi mais do mesmo”, diz fonte da confiança do presidente do senado, Rodrigo Pacheco (DEM/MG). No entanto, o fala do presidente tampouco promoveu a pacificação do ambiente político - ao contrário do que alguns conselheiros eventuais de Bolsonaro chegaram a sugerir publicamente.

Os movimentos presidenciais ao longo do dia de hoje continuam sendo observados. O próprio Bolsonaro pediu atenção especial para o discurso que fará por volta das 16h, na Avenida Paulista, em São Paulo. A expectativa é de um pronunciamento mais incisivo. 

O cenário de mal estar não foi dissipado, o que ainda funciona como empecilho para a sabatina no senado do indicado para o STF, o ex-ministro André Mendonça. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Casa, Davi Alcolumbre (DEM/AP), permanece em Brasília, acompanhando os desdobramentos do dia e, segundo assessores, a sabatina permanece sem data.

A avaliação geral, no entanto, é de que a manifestação numerosa e pacífica em Brasília, sem incidentes de depredação ou agressões, garantiu a Bolsonaro sucesso na iniciativa de obter uma expressiva imagem de apoio popular. Opositores questionam as formas “pouco transparentes” de financiamento das caravanas de apoiadores a Brasília.

Autoridades de segurança pública do Distrito Federal não estimaram a presença de público na Esplanada. O ministro das Comunicações, Fábio Faria registrou “uma multidão jamais vista em Brasília”, mas também não arriscou um palpite sobre o número de presentes.

Últimas