Ação da Polícia Civil contra milícias tem 18 presos em Nova Iguaçu (RJ)

De acordo com responsáveis pela operação, foram fechadas farmácias e outros comércios usados pelo grupo paramilitar para lavagem de dinheiro

Armas foram apreendidas com suspeitos de envolvimento com a milícia nas últimas 48 horas

Armas foram apreendidas com suspeitos de envolvimento com a milícia nas últimas 48 horas

Reprodução/Record TV Rio

A Polícia Civil prendeu na manhã desta sexta-feira (16) 18 pessoas suspeitas de envolvimento com uma milícia que atua na região de Comendador Soares, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A ação teve como objetivo atingir o braço financeiro do grupo paramilitar que atua na cidade, chefiada por criminoso conhecido como "Ecko".

Polícia Civil prende sete suspeitos de roubar vigas de escola no Rio

De acordo com o diretor do DGPE (Departamento Geral de Polícia Especializada), Felipe Curi, foram fechados comércios controlados pela milícia. As lojas, de diferentes seguimentos, eram usadas para lavagem de dinheiro do grupo paramilitar.

Farmácia vendia medicamentos controlados sem autorização

Farmácia vendia medicamentos controlados sem autorização

Divulgação / Polícia Civil

Entre os estabelecimentos fechados, Curi destacou uma farmácia que vendia medicamentos controlados e anabolizantes sem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Dentre os negócios já conhecidos da milícia, os agentes da Polícia Civil também localizaram uma estação de transmissão de sinal clandestino de TV a cabo e terrenos usados para a construção de prédios, além de um shopping de roupas falsificadas com várias lojas.

Ações contra milícia na Baixada Fluminense

Em coletiva de imprensa, representantes da força-tarefa da Polícia Civil para a segurança das eleições 2020 na Baixada Fluminense foram unânimes em dizer que a milícia atualmente deve ser chamada de narcomilícia pela ligação estreita com o tráfico de drogas.

Segundo o subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil, delegado Rodrigo Oliveira, os grupos paramilitares e traficantes conduzem o mesmo tipo de negócio, sendo em alguns casos aliados em crimes.

Nas últimas 48 horas, 17 suspeitos de envolvimento com milícias de Nova Iguaçu e Itaguaí morreram em confrontos com a força-tarefa da Polícia Civil na Baixada Fluminense.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa