Rio de Janeiro "Eu vim de lá": artista do Chapadão ganha 1ª exposição aos 20 anos

"Eu vim de lá": artista do Chapadão ganha 1ª exposição aos 20 anos

Johny Alexandre Gomes, o Jota, era assistente de pedreiro quando começou a pintar; seus quadros valem, agora, 20 vezes mais

  • Rio de Janeiro | Rafael Nascimento, do R7*

Johny Alexandre Gomes, o Jota

Johny Alexandre Gomes, o Jota

Reprodução

Não passava pela cabeça de Jota, quando trabalhava como assistente de pedreiro, que o hobby da pintura poderia mudar sua vida, que passaria a sustentar a família com a venda de quadros e que teria sua primeira exposição individual aos 20 anos.

Johny Alexandre Gomes, que assina suas obras como Jota, vive com a mãe e o irmão mais velho no Complexo do Chapadão, na zona norte do Rio de Janeiro, e neste sábado (4) apresenta a mostra “Eu vim de lá” com 25 quadros, todos já vendidos.

Jota já conta com uma lista de espera de novos colecionadores e suas obras valem, agora, 20 vezes mais que quando foram pintadas. A exposição inaugural mostra o cotidiano do artista que tem inspiração na sua própria realidade para pintar os quadros.

“O que eu pinto é mais a minha realidade. Eu pinto ali onde eu moro, meus amigos, os bailes funk, os festivais de pipa... Tudo o que acontece ali na comunidade”, diz.

Ele conta que seu envolvimento com o desenho veio desde muito cedo, mas a pintura surgiu há pouco tempo em sua vida.

“Eu comecei a pintar no começo de 2020, mas antes disso eu gostava muito de desenhar, desde pequeno sempre desenhava, gostava de desenhar muito carro, caricatura e conforme o tempo foi passando eu nunca dei muita ideia para a pintura. Só fui conhecer mesmo em 2020”, conta.

Fiel ao seu tempo, Jota desenvolveu seu gosto pela pintura ao observar o trabalho de outros pintores por uma rede social.

“Meu primeiro contato foi com o Instagram, quando eu vi uma pintura, e aquilo ali foi me inspirando. Fui pedindo para minha mãe comprar aquelas tintas pequenas acrílicas. Daí fui misturando lápis de cor com tinta acrílica e assim fui começando, fui pintando. Pintava em pedaço de papelão, de compensado, tudo que eu achava. Não tinha muito recurso”, revela.

Com o aprimoramento da técnica de pintura, que desenvolveu sozinho, o artista sentiu mais liberdade de compartilhar seus desenhos e usou sua conta na rede social para divulgar o trabalho que, até então, era só um hobby “sem intenção de ganhar alguma coisa”, nas palavras dele. Foi nesse ato despretensioso que sua vida começou a mudar.

“Comecei a vender minhas primeiras obras. Quando eu vendi para um colecionador tudo mudou. Ele abriu portas para mim. Conheci o MT Projetos de Artes, que hoje em dia me ajuda muito”, revelou.

Atelier MT

O MT Projetos de Artes, que Jota se refere, é uma plataforma de apoio a artistas novos e a veteranos pouco lembrados no circuito de artes, criada pela colecionadora Margareth Telles. A plataforma vai inaugurar um novo espaço, o Atelier MT, em um sobrado na Lapa, região central do Rio, que será usado para abrigar exposições e como residência artística.

“Assim como eu sou da Baixada Fluminense, o MT Projetos de Arte apoia artistas que são de lugares periféricos e não pertencem ao mainstream das artes. Oferecemos espaço para trabalharem, material e agenciamos as obras, fazendo a ponte com colecionadores importantes.  Toda receita é revertida para apoio aos artistas”, explica a fundadora do projeto.

A exposição “Eu vim de lá” vai ser a mostra inaugural do espaço e Jota é o primeiro artista comissionado pela plataforma de arte.

O artista, que é formado no ensino médio, desenvolveu a técnica de pintura praticando em casa e isso só foi possível com o apoio da plataforma que subsidiou recursos e suporte. Para Jota esse é só o primeiro passo. Ele sonha mais.

“Eu pretendo estudar mais, fazer uma faculdade para poder agregar muito mais no meu trabalho, fazer um curso e assim vai. Poder ajudar as pessoas também, ali onde eu vivo. Estou feliz pra caramba! Expectativa está a mil, não estou nem conseguindo dormir!”, contou.

“Eu vim de lá”

A exposição inaugural de Jota e do Atelier MT estreia neste sábado (4), das 14h às 20h, e vai até o dia 3 de outubro. É necessário agendar visita, por conta das medidas restritivas da covid-19, pelo e-mail mtprojetosdearte@gmail.com. O sobrado fica localizado na rua Gomes Freire, 242, na Lapa. A mostra tem curadoria de Pablo de La Barra, que também é o curador da América Latina no museu Guggenheim.

*Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas