Rio de Janeiro Homem é preso após companheira ser achada morta em Itaguaí (RJ)

Homem é preso após companheira ser achada morta em Itaguaí (RJ)

Segundo a polícia, Simone Oliveira foi assassinada com golpes de marreta; este é o terceiro caso de feminícidio registrado no Estado em 2019 

Feminicídio Iatguaí

A terceira vítima de feminícidio no Estado do Rio de Janeiro em 2019 será enterrada no Cemitério do Sase, em Itaguaí, na tarde deste sábado (5). O marido de Simone Oliveira de Assis Carvalho, de 40 anos, foi preso em flagrante por policiais da DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) na sexta-feira (4). 

De acordo com a Polícia Civil, o homem é suspeito de matar a companheira a golpes de marreta dentro de casa no bairro Chaperó, também em Itaguaí, no último dia (3).

Leia mais: Policial civil invade casa de ex-mulher e faz família refém no Rio

Ainda segundo a polícia, o suspeito deixou a aliança em cima do corpo da vítima. Ele levou os policiais até o local do crime, onde foi apreendida uma marreta e realizada uma perícia.

Familiares da vítima disseram que o casal estava junto há 15 anos, mas os dois decidiram oficializar a união em maio de 2018. Os parentes acreditam que uma crise de ciúmes tenha motivado o crime. Eles contaram ainda que Simone deixou dois filhos, com idades de 20 e 22 anos.

O R7 tenta localizar a defesa do suspeito. 

Feminicídios no Rio

Na sexta (4), Marcele Rodrigues da Silva, de 27 anos, foi morta a facadas na frente do filho, de 8, em Cordovil, na zona norte da capital. O ex-companheiro foi detido por um vizinho, que é um policial militar reformado.

Já o primeiro caso de feminicídio foi registrado no morro da Covanca, na zona oeste. A manicure Iolanda Crisóstomo de Souza foi assassinada após uma festa de Réveillon. Segundo as investigações, o suspeito feriu a vítima com mais 30 facadas na frente do filho de cinco anos. Ele acabou preso horas depois do crime.