Rio de Janeiro Metrô da Gávea: vereador aciona Justiça para impedir aterramento

Metrô da Gávea: vereador aciona Justiça para impedir aterramento

Alexandre Arraes (PSDB) afirma que medida proposta pelo governador do Rio, Wilson Witzel, não foi discutida com o Poder Executivo e a população

Vereador aciona Justiça para impedir aterro do metrô da Gávea

 
Proposta de Witzel gerou protestos de moradores da Gávea

Proposta de Witzel gerou protestos de moradores da Gávea

Divulgação/Governo do Estado

O vereador Alexandre Arraes (PSDB) acionou a Justiça, no último domingo (8), para suspender qualquer projeto de aterramento da estação do metrô da Gávea, na zona sul do Rio de Janeiro, proposto pelo governador, Wilson Witzel (PSC).

Veja também: Pezão recebeu até R$ 30 milhões em propina, diz delator a Bretas

No documento, o vereador afirma que, como cidadão e político, sente a necessidade de manifestar que a decisão do governador ocorreu sem debate com o Poder Executivo e toda a sociedade carioca.

Segundo Arraes, a medida prejudica a população, que já é "sofrida". Além disso, o vereador reforça que a construção da Linha 4 do Metrô, a qual estação da Gávea está integrada, já recebeu um grande investimento.

Na última quinta (5), Witzel anunciou o plano de aterrar o buraco da estação da Gávea por falta de verbas para concluir a obra, que está parada desde 2015.

A ideia gerou diversos protestos. E, após se reunir, na segunda (9), com parlamentares, moradores da Gávea e representantes da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica), o governador do Rio sinalizou que deve apresentar uma solução definitiva para estação da Gávea em 30 dias

Durante o encontro, Witzel recebeu ainda um abaixo-assinado com 11 mil assinaturas cobrando a conclusão da Linha 4 do Metrô.

Técnicos da PUC-RJ também se comprometeram a entregar ao secretário de Transportes, Delmo Pinho, na próxima sexta-feira (13), um estudo que propõe alternativas e cálculos de custos para dar continuidade às obras.

*Sob supervisão de Bruna Oliveira