São Paulo Após quedas diárias, nível do Sistema Cantareira estabiliza em 13,4%

Após quedas diárias, nível do Sistema Cantareira estabiliza em 13,4%

Apesar de não diminuir, volume de água ainda é o pior registrado na história

Após quedas diárias, nível do Sistema Cantareira estabiliza em 13,4%

Sabesp acredita que uso do volume morto evitará racionamento

Sabesp acredita que uso do volume morto evitará racionamento

Luis Moura/Estadão Conteúdo/16.03.2014

Após quase dez dias de quedas seguidas, o nível do Cantareira não registou baixa nesta terça-feira (1º). Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o volume de água continua em 13,4%, o mesmo registrado nesta segunda-feira (31). No entanto, o nível do reservatório continua sendo o pior da história. No mesmo período do ano passado, o Cantareira contava com 61,9% de água.

estiagem histórica que atinge São Paulo e ameaça o abastecimento de água da população na capital e na região metropolitana preocupa autoridades. No entanto, mesmo com os sucessivos recordes negativos de capacidade do nível dos reservatórios, a Sabesp voltou a descartar a possibilidade de adotar um racionamento de água da Grande São Paulo. Segundo o diretor de Finanças e Relações com Investidores da concessionária, Rui Affonso, isso não vai ocorrer.

— Não trabalhamos com a possibilidade de racionamento. Quem fala em racionamento preventivo não sabe o que é racionar água para mais de 10 milhões de consumidores.

Leia mais notícias de São Paulo

Medo de faltar água já traz prejuízos para prestadores de serviços em São Paulo

População de SP teve que racionar água pelo menos três vezes nos últimos 15 anos

De acordo com a companhia, mesmo considerando o pior cenário de escassez, que prevê o esgotamento do volume útil do Cantareira no final de junho, não há risco de corte no abastecimento, porque as obras para exploração do volume morto estarão prontas até lá.

    Access log