São Paulo Demolição de prédio no centro de São Paulo deve durar seis meses

Demolição de prédio no centro de São Paulo deve durar seis meses

Estrutura não corre risco de desabamento, mas autoridades decidiram manter processo de demolição por segurança

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Apesar de danificado, prédio incendiado no centro não corre mais risco de desabamento

Apesar de danificado, prédio incendiado no centro não corre mais risco de desabamento

Reprodução/Record TV - 18.07.2022

As obras para a demolição do prédio incendiado na região da rua 25 de Março, no centro de São Paulo, devem durar cerca de seis meses, de acordo com a prefeitura da capital paulista. Os trabalhos para extinguir o edifício vão começar pelos andares superiores

O incêndio no local começou no domingo (10) e só foi contido na quarta-feira (13), após mais de 60 horas de trabalho do Corpo de Bombeiros. As chamas foram tantas que comprometeram a estrutura do edifício e se alastraram para outros três empreendimentos.

No sábado (16), as equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e profissionais de engenharia fizeram uma perícia para iniciar a demolição do prédio, que abrigava uma loja de brinquedos e ficou completamente destruído.

A empresa contratada para a demolição foi a G20 Gerenciamento e Obras. Os trabalhos começaram às 8h de sábado, com as equipes colocando tapumes no entorno do prédio para o isolamento.

Os profissionais afirmaram que agora não há risco de desabamento, mas por segurança os trabalhos para extinguir o prédio, que foi muito danificado pelo fogo, continuam.

O incêndio na região deixou mais de 200 lojas de portas fechadas, prejudicando o lucro dos empresários que atuam no centro, além de afetar cerca de 15 mil funcionários, de acordo com a diretora-executiva da Univinco (União dos Lojistas da 25 de Março e Adjacências), Cláudia Urias.

No entanto, ainda no sábado, após a perícia, o secretário municipal de Infraestrutura e Obras, Marcos Monteiro, liberou a reabertura da maioria dos comércios  (com exceção de duas lojas vizinhas ao edifício) e o tráfego em quase toda a região.

Na rua Comendador Abdo Schahin, a circulação está restrita a veículos de carga e descarga autorizados e pedestres. O trecho entre os números 70 e 102 da via seguirá interditado. Os vendedores ambulantes também podem retornar, exceto no perímetro em torno da edificação.

Últimas