São Paulo Um ano depois, namorada do Rafael Miguel evita relembrar tragédia

Um ano depois, namorada do Rafael Miguel evita relembrar tragédia

Isabela Tibcherani diz ter se isolado, bloqueado contatos em suas redes sociais e mudado visual para apagar lembranças da chacina cometida pelo pai

  • São Paulo | Do R7

Isabela, de 19 anos, evita lembranças da morte do namorado e de sua família

Isabela, de 19 anos, evita lembranças da morte do namorado e de sua família

Reprodução/Instagram

A estudante Isabela Tibcherani, de 19 anos, namorada do ator Rafael Miguel, morto junto com os pais na casa do sogro, há um ano, revelou que a lembrança do crime lhe faz mal e, por isso, tem procurado se manter isolada. Em entrevista exclusiva à Record TV, nesta terça-feira (9), a jovem contou que bloqueou alguns contatos desconhecidos das suas redes sociais e mudou o visual.

 "No momento não estou bem, por conta de toda essa recapitulação. Ficar lembrando não tem me feito bem, sem contar que eu também tenho uma vida normal, cheia de problemas normais então, misturando tudo, a cabeça da gente fica meio cheia", desabafou.

Leia também: Caso Rafael Miguel faz um ano e polícia não tem pistas do assassino

Segundo Isabela, as mudanças são tentativas de amenizar as dores pelas recordações trágico dia em que seu pai, Paulo Cupertino, assassinou seu namorado, o ator Rafael Miguel e seus pais, João Miguel e Miriam Miguel, na frente da casa da sua família, na zona sul de São Paulo.

Além do sentimento da perda, Isabela fala sobre agressões psicológicas que tem sofrido. “Eu procurei todo esse tempo levar uma vida tranquila o melhor possível para não perder minha cabeça. Hoje eu faço tratamento psicológico, procuro estar perto de pessoas que possam me oferecer uma rede de apoio bacana”, enfatizou Isabela.

Isabela fez uma tatuagem como forma de homenagear o namorado, morto há um ano. A irmã de Rafael, que se mudou de cidade logo após o crime, também evita exposições, mas fez um desabafo nas redes sociais, na manhã desta terça-feira (9).

Ninguém da família de Isabela retornou ao local do crime segundo vizinhos. A fachada da casa, que fica na zona sul de São Paulo, está totalmente pichada com palavras de justiça e repúdio ao autor do crime, Paulo Cupertino.

Caso

Paulo Cupertino não aprovava o relacionamento de Isabela e Rafael. Os pais de Rafael foram até a casa de Isabela para conversarem com os pais da garota sobre o relacionamento dos jovens. Ao chegarem no local, Rafael e seus pais foram surpreendidos por Paulo, que saiu da residência armado e disparou 13 vezes contra a família. Rafael foi baleado sete vezes.

Após o crime, Cupertino fugiu em um carro e permanece foragido após um ano do ocorrido. A polícia, até o momento, já realizou buscas em 300 endereços diferentes em 10 estados brasileiros, além de endereços no Paraguai e Argentina.

Em inquérito, a polícia mostra que Paulo foi ajudado durante esse período por amigos que supostamente deviam favores a ele. Eduardo José Machado e Wanderlei Antunes Machado Ribeiro são amigos de Paulo e prestaram depoimento à polícia quando o crime ocorreu.

Paulo Cupertino Matias é considerado foragido da justiça e procurado pelo polícia desde o dia do crime. Um pedido de prisão preventiva já foi solicitado à justiça, mas até hoje não foi decretado.

Últimas