A poucos dias do verão, médicos alertam sobre o câncer de pele

Doença é o tipo mais frequente do País e corresponde a 30% dos tumores

Protetor solar deve ser usado diariamente
Protetor solar deve ser usado diariamente Getty Images

Faltando poucos dias para o verão — a estação começa oficialmente no dia 21 de dezembro —, a SDB (Sociedade Brasileira de Dermatologia) lançou a campanha Dezembro Laranja, como tema “Se exponha mas não se queime”, para alertar a população sobre o câncer de pele. Este é o tipo mais incidente no País e corresponde a 30% de todos os tumores malignos.

Apesar da alta incidência da doença, o dermatologista André Lauth explica que o câncer de pele tem baixa letalidade. "Quando diagnosticado precocemente, tem grandes chances de cura".

O câncer de pele se caracteriza por uma proliferação celular anormal e descontrolada, e apresenta diferentes variações: CBC (carcinoma basocelular), que acomete as células da camada mais profunda da epiderme; o CEC (carcinoma espinocelular), que se manifesta nas camadas mais superiores da pele, e melanoma, que tem origem nas células produtoras de melanina, explica a dermatologista Amanda Vieira, da Cia da Consulta.

— O melanoma é o menos frequente, mas o tipo de câncer de pele de pior prognóstico e com o maior índice de mortalidade. Geralmente, se inicia como uma pinta, acastanhada ou enegrecida, que pode mudar o tamanho, a cor e o formato, às vezes causa sangramento.

Conheça a maneira correta de aplicar protetor solar para se proteger do câncer de pele

Alguns indícios que merecem atenção e podem ser sintomas da doença:

- Uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente;

- Uma pinta preta ou castanha, que muda sua cor ou textura, torna-se irregular nas bordas e cresce de tamanho;

- Uma mancha ou ferida que não cicatriza, que continua a crescer, apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Pessoas com histórico da doença na família ou que tenham muitas pintas no corpo devem ter cuidado redobrado, pois possuem maior probabilidade de desenvolver o câncer de pele, alerta Amanda. Ela ainda explica que alguns casos podem estar associados a cicatrizes crônicas, além de exposição ao tabagismo e radiação.

Cuidado com o sol

A doença, que tem como principal causa a exposição excessiva à luz do sol ou das câmaras de bronzeamento, surge com mais frequência em áreas que ficam mais expostas como rosto, orelhas, pescoço, couro cabeludo (em calvos), ombros e costas. A qualquer sinal diferente, a recomendação é sempre procurar um especialista.

A ação deste ano tem como objetivo disseminar para a população a importância dos cuidados com a pele e do uso do protetor solar, alertar para os riscos da doença e para a necessidade do diagnóstico precoce para evitar mutilações ou danos maiores, principalmente, nos trabalhadores que desempenham atividades expostos no sol.

Para essas pessoas, a SBD recomenda o uso regular de equipamentos de proteção individual, como chapéus de abas largas, óculos escuros, roupas de cubram boa parte do corpo, protetores solares, além da ingestão constante de água.  

No geral, a melhor maneira para reduzir o risco de desenvolver a doença, é reduzir a exposição solar e fazer o uso de protetor solar diariamente, com fator de proteção solar (FPS) 30 ou maior.