Brasília Após distrital contrair Covid, CLDF anuncia teste para servidores 

Após distrital contrair Covid, CLDF anuncia teste para servidores 

Presentes ao plenário na terça farão exame; na ocasião, Jorge Vianna se queixou de febre, e diagnóstico foi confirmado na quarta

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Deputado Jorge Vianna discursa sem máscara durante sessão na CLDF

Deputado Jorge Vianna discursa sem máscara durante sessão na CLDF

TVCLDF/Reprodução

Os servidores, terceirizados e estagiários que estiveram no plenário da CLDF (Câmara Legislativa do Distrito Federal) na última terça-feira (1º) serão submetidos a teste para diagnóstico de infecção pelo coronavírus. Na sessão daquela data, o deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) se queixou de calafrios e estado febril. Ele foi diagnosticado com Covid-19 na manhã seguinte. A medida também vale para quem teve contato com pessoas que circularam no local na ocasião.

A orientação para testagem foi publicada no Diário da CLDF desta quinta-feira (3) e é assinada pelo vice-presidente da Casa, deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos). O ato descreve que o exame aplicado será o teste rápido de antígeno.

Pelo texto, o exame será realizado na rede credenciada do Fascal (Fundo de Assistência à Saúde da Câmara Legislativa), que atende parlamentares e servidores. Os testes serão feitos nesta sexta-feira (4).

Os trabalhos na Casa foram retomados na terça-feira (1º) e contaram com a presença do governador Ibaneis Rocha. Durante pronunciamento, o chefe do Executivo descartou a possibilidade de um lockdown devido ao avanço da pandemia de Covid-19.

O deputado Jorge Vianna chegou a discursar sem máscara em duas oportunidades. No fim da sessão, ele foi ao microfone para dizer que estava de saída por apresentar sintomas. O parlamentar afirmou que havia tomado chuva no dia anterior e que faria o teste para Covid-19 assim que deixasse a Câmara.

Nesta quarta, parlamentares defenderam a adoção do passaporte da vacina ampliado na capital federal diante do avanço de infecções pelo coronavírus e da lotação de UTIs para tratar os casos mais graves.

Últimas