Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Itamaraty confirma morte de soldado brasileiro que lutava como voluntário na Ucrânia

Em nota, ministério reafirmou que desaconselha, de forma enfática, deslocamentos de brasileiros para o país europeu

Brasília|Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O soldado brasileiro André Hack Bahi morreu lutando em meio à guerra na Ucrânia
O soldado brasileiro André Hack Bahi morreu lutando em meio à guerra na Ucrânia O soldado brasileiro André Hack Bahi morreu lutando em meio à guerra na Ucrânia

O Ministério das Relações Exteriores confirmou, nesta quinta-feira (9), a morte do soldado brasileiro André Hack Bahi, que lutava como voluntário na guerra na Ucrânia. A informação havia sido divulgada na última terça-feira (7) por Tatiane Hack, irmã da vítima.

Segundo a nota, o ministério mantém contato com familiares do soldado brasileiro "para prestar-lhes toda a assistência cabível, em conformidade com os tratados internacionais vigentes e com a legislação local".

O Itamaraty reafirmou que desaconselha, de forma enfática, deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, "enquanto não houver condições de segurança suficientes" naquele país.

Em uma publicação nas redes sociais, Tatiana comentou a morte do irmão. "Meu coração jamais deixará de sentir essa dor que me corrói por dentro, queria muito ouvir sua voz, suas palavras engraçadas e fazendo suas palhaçadas, mas infelizmente hoje meu coração chora em saber que acabou, que se foi", escreveu. "Parte de mim está em luto eterno. Te amo muito e obrigada por ser meu irmão. Tchau, meu guerreiro", completou.

Publicidade

Confira, abaixo, a nota do Itamaraty na íntegra:

O Ministério das Relações Exteriores recebeu, por meio da Embaixada do Brasil em Kiev, confirmação do falecimento de nacional brasileiro em território ucraniano em decorrência do conflito naquele país e mantém contato com familiares para prestar-lhes toda a assistência cabível, em conformidade com os tratados internacionais vigentes e com a legislação local.

Publicidade

Assim como tem feito desde o começo do conflito, o Itamaraty continua a desaconselhar enfaticamente deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, enquanto não houver condições de segurança suficientes no país.

Ressalte-se que, em observância ao direito à privacidade e ao disposto na Lei de Acesso à Informação e no decreto 7.724/2012, mais informações poderão ser repassadas somente mediante autorização dos envolvidos ou de seus familiares diretos. Assim, o MRE não poderá fornecer dados específicos sobre casos individuais de assistência a cidadãos brasileiros.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.