Brasília Morte de cachorro foi acidente de trabalho, diz dono de hotel de pet

Morte de cachorro foi acidente de trabalho, diz dono de hotel de pet

Luciomario de Assunção prestou depoimento à CPI dos Maus-tratos; ele tinha apresentado duas versões diferentes à polícia 

  • Brasília | Vanessa Marques, Do R7

Empresário dando depoimento à CPI dos Maus-Tratos da Câmara Legislativa

Empresário dando depoimento à CPI dos Maus-Tratos da Câmara Legislativa

TV Câmara Distrital/ Reprodução

O proprietário do Pet Park Hotel, Luciomario de Assunção, disse que a morte do cachorro Ted foi um acidente de trabalho, em depoimento à CPI dos Maus-tratos da Câmara Legislativa, nesta segunda-feira (18). O animal estava hospedado no hotel e morreu depois de ser atacado por outro cão.

Na época, o cachorro foi dado como desaparecido e o empresário deu duas versões diferentes sobre o paradeiro do Ted para a sua dona.

Ele contou que o cachorro da raça maltês foi atacado por um outro maior quando escapou por uma porta que separava os animais de portes diferentes. “Eu não tinha jamais a intenção de expor a vida do cão, muito menos deixá-lo com outros cães maiores”, explicou.

Luciomario pediu desculpas aos donos do cachorro e disse que vai colaborar da melhor forma possível. “Tenho um sentimento de culpa, mas peço perdão pelo meu erro. Eu não quero que isso aconteça de novo. Nem vai acontecer, porque meu negócio praticamente acabou”, lamentou.

O deputado Daniel Donizet (PL-DF), presidente da CPI, disse que o depoimento foi uma oportunidade de esclarecer o que realmente aconteceu. Para o deputado, as versões falsas, aumentaram o sofrimento dos donos de Ted.

“A responsabilidade é toda do senhor. Um hotel de pet tem que tomar muito cuidado, tem que ter muita responsabilidade, porque você está lidando com vidas e os animais para a gente são como filhos, como o senhor mesmo mencionou”, afirmou.

O deputado explicou que a Comissão vai avaliar se outras pessoas vão ser convocadas. O empresário está respondendo a dois processos do Ministério Público. 

Caso

O caso ganhou notoriedade porque, inicialmente, o empresário disse aos donos do animal que teria sido assaltado. A família deu início a uma campanha nas redes sociais para reencontrar Ted e fez um boletim de ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia Civil (Asa Sul). Depois, na delegacia, o homem mudou a versão e disse que o cachorro tinha fugido.

Por fim, o empresário admitiu que o cachorro morreu atacado por outro animal. Da raça maltês, Ted estava com a família havia dez anos.

Últimas