Dólar sobe pela 4ª vez seguida e passa a valer R$ 5,46

Salto de 0,97% levou a moeda norte-americana ao maior patamar desde 26 de junho em meio a tensões entre Estados Unidos e China

Dólar oscilou entre R$ 5,35 e R$ 5,47 ao longo do dia

Dólar oscilou entre R$ 5,35 e R$ 5,47 ao longo do dia

Gary Cameron/Reuters

O dólar começou a semana em alta ante o real, na quarta valorização diária consecutiva e na máxima desde o fim de junho, puxado por um dia de moeda norte-americana fortalecida no exterior em meio a tensões entre EUA e China.

Na sessão desta segunda-feira (10), a moeda norte-americana subiu 0,97%, a R$ 5,4649, maior patamar desde 26 de junho (R$ 5,4652).

A divisa oscilou na sessão entre alta de 1,07% (para R$ 5,4706) e queda de 1,11% (a R$ 5,3525). Nas últimas quatro sessões seguidas de ganhos, o dólar avançou 3,43%. A série de altas é a mais longa desde os cinco pregões de apreciação entre 12 e 18 de junho. A moeda sobe 4,72% em julho e salta 36,18% em 2020.

Leia mais: Em meio à alta do dólar, saiba o que fazer com os investimentos

A valorização do dólar ocorreu com a imposição da China de sanções a 11 cidadãos dos EUA, incluindo parlamentares do Partido Republicano, ao qual pertence o presidente Donald Trump, em resposta a sanções por Washington contra Hong Kong e autoridades chinesas acusadas de restringir liberdades políticas na ex-colônia britânica.

Ruídos entre China e EUA, as duas maiores economias do mundo, há tempos sacodem os mercados financeiros, com o embate comercial escalando para âmbito geopolítico.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil e de vários países da América Latina. Todas as principais moedas latino-americanas se desvalorizaram nesta sessão.