Internacional Haiti: coordenador de segurança do presidente assassinado é preso 

Haiti: coordenador de segurança do presidente assassinado é preso 

Comissário Jean Laguel Civil é suspeito de envolvimento no complô que matou Jovenel Moise dentro da residência oficial

AFP
Presidente do Haiti Jovenel Moise foi morto em um ataque à residência oficial em Porto Príncipe

Presidente do Haiti Jovenel Moise foi morto em um ataque à residência oficial em Porto Príncipe

Valerie Baeriswyl / AFP

A Polícia Nacional do Haiti anunciou na segunda-feira (27) a prisão do coordenador de segurança do presidente Jovenel Moise, dentro da investigação do assassinato do chefe de Estado, ocorrido este mês.

O comissário Jean Laguel Civil está preso na cidade de Delmas. Ele é suspeito de envolvimento no complô que levou à morte de Moise em sua residência pelas mãos de um comando armado. "Confirmo que Civil foi detido hoje pela polícia,como parte da investigação sobre o assassinato", disse à AFP a porta-voz da polícia, Marie Michelle Verrier.

O comissário do governo de Porto Príncipe, Me Bed-ford Claude, já havia pedido aos serviços de migração que proibissem quatro agentes da polícia nacional haitiana, responsáveis pela segurança do presidente assassinado, de deixar o país. Além de Civil, tratam-se do comissário Dimitri Hérard, chefe da Unidade de Segurança Geral do Palácio Nacional (USGPN); o comissário Léandre Pierre Osman, chefe da Unidade de Segurança Presidencial (USP); e o inspetor-chefe Amazan Paul Eddy, chefe da unidade de elite responsável por proteger o presidente.

Também no âmbito da investigação do magnicídio, a polícia emitiu hoje um aviso de busca contra Wendelle Coq Thélot, juiz do Tribunal de Cassação, máxima instância judicial do país. Ele havia sido destituído por Moise.

O novo primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, prometeu levar os assassinos do presidente à Justiça. Até o momento, a polícia haitiana prendeu cerca de 20 mercenários, a maioria colombianos, e afirma ter descoberto um complô organizado por um grupo de haitianos que possuem ligações com o exterior, mas muitas perguntas permanecem sem resposta.

Últimas