Internacional Nigéria: ao menos 200 alunos são sequestrados por grupo armado

Nigéria: ao menos 200 alunos são sequestrados por grupo armado

País registrou diversos de ataques contra estudantes em escola e em universidade nos últimos meses

Últimos meses marcam um aumento no número de sequestros em escolas no norte da Nigéria

Últimos meses marcam um aumento no número de sequestros em escolas no norte da Nigéria

Freepik

A imprensa nigeriana informou que ao menos 200 estudantes foram sequestrados por homens armados de uma escola na região centro-oeste do país. O número de jovens levados pelo grupo não foi confirmado pela autoridades.

"Muitos estudantes de uma escola em Tegina (no estado de Níger) foram sequestrados hoje. Até o momento, não posso determinar o número real", declarou Mary Noel-Berje, chefe do gabinete de imprensa do governador de Níger, Abubakar Sani Bello.

O sequestro ocorreu um dia após a libertação de 14 estudantes da Universidade de Greenfield, em Kaduna, estado situado no noroeste do país e vizinho a Níger. Esses universitários foram capturados em abril.

Os últimos meses marcam um aumento no número de sequestros em escolas no norte da Nigéria, geralmente com o objetivo de lucrar com os resgates. Mais de 800 alunos foram sequestrados desde dezembro do ano passado.

No dia 12 de março, foram sequestrados 39 estudantes da Escola Superior de Mecanização Florestal de Igabi, no estado de Kaduna. Eles foram liberados entre abril e maio.

Já em 2 de março foram liberadas 279 estudantes que tinham sido capturados em 26 de fevereiro. As autoridades locais atribuíram o sequestro a "bandidos" em uma escola pública feminina no estado de Zamfara, também no noroeste do país.

Em 17 de fevereiro, homens armados sequestraram 38 estudantes e professores da Escola de Ciências do Governo em Kagara, no estado de Níger. A libertação ocorreu dez dias depois.

No ano passado, em 11 de dezembro, 344 alunos, liberados uma semana depois, foram capturados em uma escola em Kankara, no estado de Katsina (noroeste), em ataque reivindicado pelo grupo jihadista Boko Haram, que até então se limitava a atacar o nordeste do país.

Kaduna e outros estados do noroeste da Nigéria sofrem diversos ataques de grupos criminosos envolvidos em roubos de gado e sequestros para lucrarem com o pagamento dos resgates.

Últimas