Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Novo chefe do Exército da Bolívia ordena que tropas envolvidas no golpe voltem aos quartéis

José Wilson Sánchez afirma que movimento ‘mancha o uniforme’ dos militares envolvidos

Internacional|Do R7


Militares começam a deixar a principal praça de La Paz após ordem de novo comandante do Exército Reprodução/X/Vídeo/@KawsachunNews

O novo chefe do Exército boliviano, José Wilson Sánchez, ordenou que tropas mobilizadas envolvidas na invasão ao palácio presidencial de La Paz nesta quarta-feira (26) retornem aos seus quartéis. “Ninguém quer as imagens que vemos nas ruas”, afirmou ele em um pronunciamento oficial, e acrescentou que esse tipo de mobilização “mancha o uniforme” dos envolvidos.

Imagens divulgados pelo jornal boliviano El Deber mostram tanques e militares deixando a praça Murillo, na capital do país, enquanto cidadãos protestam contra o movimento encabeçado por militares.

Logo após o cerco, o presidente Luis Arce demitiu os três chefes das forças armadas, que demonstraram apoio à tentativa de golpe desta quarta-feira (26). O general Juan José Zuniga, principal envolvido na invasão ao palácio, foi demitido um pouco antes, no início da semana, após afirmar que “Evo Morales não pode mais ser presidente” do país.

A declaração foi considerado uma interferência política por parte de Arce, que o destituiu do cargo. Segundo a Reuters, quando ocupava a presidência, o próprio Evo Morales identificou Zuniga — que era Chefe do Estado-Maior na época — como um dos principais perseguidores dos membros do governo. Em 2013, o general foi acusado de desviar 2,7 milhões de pesos bolivianos (cerca de R$ 2,16 milhões).

A mídia do país especula que é provável que a demissão tenha motivado a tentativa de golpe.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.