Minas Gerais ALMG abre CPI para investigar 'fura-filas' no Governo de MG

ALMG abre CPI para investigar 'fura-filas' no Governo de MG

Deputados também vão apurar possível baixo investimento do Estado nas ações de combate à pandemia de covid-19

  • Minas Gerais | Pablo Nascimento, do R7

Presidente da ALMG recebeu o pedido

Presidente da ALMG recebeu o pedido

Divulgação / ALMG / Clarissa Barçante

A mesa diretora da ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais) aceitou, na tarde desta quinta-feira (11), o pedido de abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias de vacinação irregular de servidores do Governo Estadual.

"A CPI do fura-fila será instalada na Assembleia. Os mineiros merecem respostas", escreveu o presidente da Casa, Agostinho Patrus.

A ideia é que os deputados também apurem se o Estado investiu poucos recursos nas ações de combate à pandemia de covid-19. Nos próximos dias os parlamentares vão denifir os sete membros do grupo responsável pela investigação. Eles terão até 120 dias para apresentar um relatório sobre o caso.

Veja: Zema diz que vai entregar lista de vacinados na secretaria de saúde

O texto pedindo a abertura da CPI foi assinado por 39 parlamentares, sendo Ulysses Gomes (PT) o primeiro signnatária. Com isto, ele já garante vaga na CPI, mas não pode ocupar a função de relatou ou presidente.

"Fura-fila" na SES-MG

Na última segunda-feira (8), o R7 publicou a informação de que servidores da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) teriam sido vacinados contra a covid-19 mesmo estando fora do grupo prioritário. Entre os imunizados, aparecem o próprio chefe da pasta, Carlos Eduardo Amaral, e até mesmo funcionários que estão trabalhando em “home office”.

Amaral foi sabatinado, na quarta-feira (10), pelos deputados da ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais). Na oportunidade, ele se defendeu das acusações e afirmou que se imunizou para “dar exemplo à população”. No mesmo dia, parlamentares já se articulavam para abrir uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que foi confirmada nesta quinta-feira (11).

Últimas