Minas Gerais Dona de asilo será investigada por reter aposentadoria de idosos

Dona de asilo será investigada por reter aposentadoria de idosos

Elizabeth Lopes Teixeira é suspeita de torturar internos que frequentavam sua clínica de repouso em Santa Luzia, na região metropolitana de BH

  • Minas Gerais | Clara Mariz, do R7*, com Regiane Moreira, da Record TV Minas

Elizabeth Lopes Teixeira vai ser investigada por maus-tratos

Elizabeth Lopes Teixeira vai ser investigada por maus-tratos

Record TV Minas

Presa suspeita de torturar idosos, a dona de um asilo particular em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, também será investigada por reter a aposentadoria dos internos.

Segundo a filha de umas das idosas que frequentava o lugar, Júlia Carla Ramalho, a dona do estabelecimento, Elizabeth Lopes Teixeira, era responsável por sacar a aposentadoria mensalmente. Mas, quando a aposentada morreu ela se negou a entregar o cartão de benefício do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social).

— Depois que minha mãe morreu eu pedi a Elizabeth todos os documentos incluindo o cartão. Ela me entregou apenas a identidade. Quando eu perguntei aonde estava o cartão de benefício ela me disse que o pagamento do mês de maio ela tinha direito, porque não era “obrigada a cuidar de idoso de graça”.

A delegada da Polícia Civil, Bianca Prado, responsável pelo caso, informou que, no local, foram encontrados vários cartões de banco e do benefício do INSS.

— Além de maus-tratos ela será investigadas por retenção de benefício de incapaz

Suspeita de tortura

Elizabeth Lopes Teixeira e sua filha Poliana Lopes Ferreira, foram presas em flagrante na última quinta-feira (25), suspeitas de maltratar os 50 idosos que ficavam no asilo, em Santa Luzia. Nesta quarta-feira (31), um outro cuidador, conhecido como JP foi preso, depois de ter sido declarado foragido.

Vários idosos foram encaminhados para o Hospital Municipal de Santa Luzia, desidratados e com sinais de agressão. Dos 16 que permanecem internados, três estão em estado grave.

De acordo com a Polícia Civil, ainda é cedo para saber quantas pessoas foram agredidas pelas proprietárias e o cuidador e quais morreram em decorrência das torturas que sofriam. As mortes de sete idosos, nos últimos anos, estão sendo investigadas pela corporação.

Uma equipe da prefeitura de Santa Luzia fez um mutirão para localizar os parentes. Quem não procurar os parentes pode responder por abandono de incapaz.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Lucas Pavanelli

Últimas