Minas Gerais Vereador mantém ação que pede cassação de Wellington Magalhães

Vereador mantém ação que pede cassação de Wellington Magalhães

Relator do caso apresentou parecer favorável à investigação; comissão tem 90 dias para tomar decisão sobre cassação, após ouvir testemunhas e o acusado

Político é acusado de quebra de decoro parlamentar

Político é acusado de quebra de decoro parlamentar

Divulgação/CMBH/Bernardo Dias

O vereador Elvis Côrtes (PHS), relator da comissão instaurada para apurar o pedido de cassação do parlamentar Wellington Magalhães (DC), apresentou um parecer favorável à continuidade da investigação.

Magalhães é acusado de quebra de decoro parlamentar, que ocorre quando as ações de um legislador afetam a imagem do Legislativo. O pedido de perda de mandato foi baseado em investigações do MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) que investiga participação do político em um esquema de desvio de verbas da Câmara Municipal.

Agora, a comissão terá 90 dias para tomar uma decisão sobre o processo. Durante esse período, serão feitas várias reuniões, inclusive com participação de testemunhas.

Em agosto do ano passado, Magalhães já havia sido julgado em plenário pelos colegas, mas se livrou da perda de mandato. Desta vez, o caso ganhou ainda mais destaque após a divulgação de áudio em que político, supostamente, fez ameaças ao vereador Mateus Simões (Novo), autor do pedido de cassação, e ao promotor de Justiça, Leonardo Barbabela, que o investiga por suspeita de corrupção.

Em entrevista à Record TV Minas, Magalhães disse que fazia um “desabafo” na conversa e que jamais pensou em matar alguém.

A reportagem procurou o gabinete do vereador Wellington Magalhães para comentar a decisão de Côrtes, mas ainda não teve retorno.