Brasília Ibaneis anuncia investimentos de R$ 131 milhões na saúde do DF

Ibaneis anuncia investimentos de R$ 131 milhões na saúde do DF

Pacote de medidas do GDF prevê ainda recursos para melhorias em unidades de saúde e reforço no quadro de servidores 

  • Brasília | Priscila Mendes, do R7, em Brasília

Ibaneis anunciou pacote milionário para impulsionar a saúde durante coletiva no Buriti

Ibaneis anunciou pacote milionário para impulsionar a saúde durante coletiva no Buriti

Agif/Folhapress

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) anunciou, na manhã deste sábado (28), investimentos que chegam a R$ 131 milhões para a reforma de hospitais e a conclusão de obras de construção de postos de saúde nos próximos quatro meses. O pacote de medidas do Governo do DF prevê ainda o reforço no quadro de servidores com a contratação de 431 novos profissionais, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos e especialistas aprovados no último concurso da Secretaria de Saúde.

O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa no Palácio do Buriti, onde o governador assinou um decreto lançando o cartão Pequenos Reparos. Por meio dessa modalidade, criada para descentralizar e desburocratizar as despesas dentro da rede pública de saúde do DF, os superintendentes de unidades de saúde terão até R$ 100 mil disponíveis para custeio de reformas e manutenção, e, no caso de diretores, o valor será de até R$ 70 mil.

A estimativa de gasto é de R$ 1,5 milhão por mês e R$ 6 milhões até o fim do ano. Novos repasses só serão liberados com a aprovação da prestação de contas. “Com isso, a gente aguarda que não faltem suprimentos e que possam ser feitos, de forma mais imediata, os reparos nas unidades de saúde. Neste momento, assino esse decreto e já autorizo a publicação pela Casa Civil”, destacou o governador.

A previsão é que, até dezembro deste ano, estejam funcionando sete unidades de pronto atendimento (UPAs) e quatro unidades básicas de saúde (UBSs). São R$ 46 milhões na construção e compra de equipamentos nas UPAs de Ceilândia, do Paranoá, do Riacho Fundo II, do Gama, de Planaltina, de Brazlândia e de Vicente Pires, além de R$ 20 milhões para os novos postos de saúde.

A coletiva também marcou a posse oficial do general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache como secretário de Saúde do DF. O novo integrante do GDF disse que quer priorizar contratações e infraestutura. “Nós vamos colocar uma série de medidas para avançar e conquistar os objetivos voltados para atender mais rapidamente a população. Nossa prioridade é tudo aquilo que torna isso possível, como insumos, contrações e infraestrutura. É assim que vamos nos dedicar e somar esforços neste momento de pandemia”, ressaltou o novo secretário.

Pafiadache chega para substituir Osnei Okumoto, exonerado na quinta-feira (26). O novo secretário ocupava o cargo de Superintendente do Instituto de Cardiologia do DF (ICDF).

Contratações
Em relação à contratação de pessoal, o GDF conta com concursos já realizados, em andamento e os autorizados. Estão previstas mudanças de especialidades e relocação de médicos – principalmente de anestesistas, especialidade considerada como o principal gargalo na realização de cirurgias.

A partir dos concursos já realizados, o governador prometeu chamar 104 médicos, 64 enfermeiros obstetras (zerando o cadastro reserva nos dois casos) e 38 enfermeiros de família e comunidade. Na carreira de especialistas, serão convocados 35 fonoaudiólogos, 5 economistas, 5 estatísticos e 5 contadores, além de 80 farmacêuticos – que atuarão em toda rede de atenção primária com a administração de psicotrópicos e nas farmácias clínica e hospitalar.

Além disso, governo pretende contratar 100 médicos temporários. O resultado preliminar para essas contratações foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) da última sexta-feira (27).

Em andamento, há concursos para médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas. Também estão previstas 200 vagas de especialistas da carreira de Assistência Pública à Saúde (psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais e terapeutas ocupacional). Duas novas carreiras estão incluídas: a de gestão e assistência pública e a de técnico em enfermagem.

Últimas