Brasília Justiça do DF mantém prisão de mulher suspeita de matar filha 

Justiça do DF mantém prisão de mulher suspeita de matar filha 

Menina de 5 anos teria sido asfixiada 12 horas antes do incêndio iniciar no apartamento em que morava

Incêndio em apartamento em Taguatinga; menina de cinco anos morreu no local

Incêndio em apartamento em Taguatinga; menina de cinco anos morreu no local

Reprodução / Record TV

A Justiça do Distrito Federal converteu em preventiva a prisão da mulher suspeita de matar a filha de 5 anos em um apartamento de Taguatinga, no Distrito Federal. A criança foi encontrada morta durante um incêndio que aconteceu no local em que morava com a mãe na madrugada desta segunda-feira (6).

Segundo a polícia, existe a possibilidade da menina ter sido asfixiada 12 horas antes do fogo iniciar. Durante o socorro da vítima, os bombeiros verificaram que o corpo da criança estava "extremamente gelado", sinal de que ela estaria morta há horas.

Em carta, supostamente escrita pela mulher, no último domingo (5), ela detalhou como mataria a filha e depois incendiaria o apartamento. No texto, ela ainda teria relatado que asfixiaria a criança com um travesseiro e amarraria os pés e as mãos dela com um cadarço.

Antes de ser presa, a mulher disse aos bombeiros que não era para a criança estar no apartamento. Ela afirmou que usou álcool e bebida para provocar o incêndio na sala do imóvel.

De acordo com o Tribunal de Justiça do DF, a mulher é investigada por crime de homicídio qualificado por motivo fútil. Com a determinação da prisão, o inquérito será encaminhado para o Tribunal do Júri de Taguatinga, onde o processo será tramitado.

Últimas