DF Record Ministério Público defende pena maior para envolvidos no caso naja

Ministério Público defende pena maior para envolvidos no caso naja

Em julho de 2020 um estudante de veterinária foi picado por uma cobra, que criava de forma ilegal

O Ministério Público defendeu pena maior para os envolvidos no caso naja. Em julho de 2020 um estudante de veterinária foi picado por uma cobra, que criava de forma ilegal. O caso deu início a uma investigação sobre tráfico de animais.

Pedro foi condenado por uso e comercialização ilegal de animais silvestres, expondo a perigo a saúde pública; a pena foi de 14 meses de prisão em regime aberto e será substituída por uma pena restritiva de direitos, com prestação de serviços à comunidade. Também foram condenados o padrasto dele, o tenente-coronel da Polícia Militar Clóvis Eduardo Condi; a mãe do jovem, Rose Meire dos Santos e um amigo, o universitário Gabriel Monteiro de Moura.

Últimas