Brasília "O medo dele era morrer", diz produtora rural sobre caseiro preso

"O medo dele era morrer", diz produtora rural sobre caseiro preso

Cinda Mara contou ter vestido camisa em Wanderson Mota Protácio, que se entregou à polícia neste sábado (4) em GO

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Cinda Mara e Wanderson Mota Protácio

Cinda Mara e Wanderson Mota Protácio

Reprodução

A produtora rural Cinda Mara, responsável por convencer o caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, a se entregar à polícia neste sábado (4) em Gameleira de Goiás, afirmou que o suspeito de ter cometido três assassinatos tinha medo de morrer.

"Ele disse que ia correr, que ia embora. Eu tive uma reação de segurar nos braços dele e falei que ele não ia fugir mais. Disse que os policiais estavam cansados, os produtores rurais estavam com medo dele e que ia se entregar a polícia", afirmou. "Ele falou que ia morrer. Eu disse que não ia morrer. O medo dele era morrer", complementou.

As declarações foram dadas pela produtora rural ao Cidade Alerta, programa da Record TV. Cinda contou também que o caseiro, que se entregou à polícia na cidade de Gameleira de Goiás, estava com muita fome quando chegou a sua chácara.

"Ele chegou, entrou e sentou nessa mesa. Daí ele pediu café, eu fiz o café para ele e tinha uma vasilha com bolacha de nata, inclusive nem lavei as vasilhas do café dele. Não sobrou nada", informou.

A produtora rural afirmou ainda que Wanderson tremia bastante na ocasião – ele havia passado os últimos dias na mata da região. "Fui com as mãos para cima, entrei no quarto, abri o guarda-roupa e peguei a camisa. Eu mesmo vesti a camisa nele. Eu tive que usar de psicologia e até de certa frieza para ele se sentir seguro comigo", contou.

Na sequência, Cinda disse que o caseiro tinha revelado que "a mãe dele nunca havia feito aquilo com ele. Ele disse que foi abandonado aos 4 anos de idade".

O caseiro é suspeito de matar a mulher, grávida, a enteada e um fazendeiro. O crime ocorreu no dia 28 de novembro e desde então ele estava foragido. O momento em que ele chegou à delegacia foi filmado. Os policiais tiraram Wanderson do camburão. Ele vestia um agasalho marrom e uma calça da mesma cor.

Últimas