Internacional Espanha tem violência em protestos contra prisão de rapper

Espanha tem violência em protestos contra prisão de rapper

Detenção de Pablo Hasel, crítico da realeza e acusado de apoiar terrorismo, gerou protestos em Madri e Barcelona

Reuters
Policial dispara bomba de gás contra manifestantes em Barcelona

Policial dispara bomba de gás contra manifestantes em Barcelona

Nacho Doce / Reuters - 17.2.2021

A polícia da Espanha disparou gás lacrimogêneo, balas de borracha e bombas sonoras em dois protestos em Madri e Barcelona, nesta quarta-feira (17), cada um com a presença de milhares de pessoas, um dia depois da prisão de um rapper sob a acusação de glorificar o terrorismo e insultar a realeza em suas canções.

Leia também: Espanha: rapper é preso por exaltar terrorismo e insultar a Coroa

Os protestos na praça central da capital, Plaza de Sol, foram inicialmente pacíficos, com pessoas batendo palmas e gritando "Chega de violência policial" e "Liberdade para Pablo Hasel", o rapper detido na cidade catalã de Lleida na terça-feira.

Mas a polícia avançou contra a multidão empunhando cassetetes depois que alguns manifestantes começaram a jogar garrafas de vidro e pedras. Alguns manifestantes responderam ateando fogo a lixeiras e outros objetos para criar barricadas nas ruas estreitas de Madri.

Em Barcelona, ocorreram cenas semelhantes quando a polícia local Mossos d'Esquadra disparou balas de borracha contra a multidão, ferindo um repórter da Reuters.

Quando os manifestantes catalães começaram a jogar projéteis nas vans blindadas, os Mossos retaliaram com balas de borracha direcionadas ao rosto. Enquanto os tumultos pareciam estagnar, grandes trechos das ruas do centro de Barcelona se enchiam de fumaça das lixeiras em chamas.

Sentença de 9 meses

Pablo Hasel não cumpriu prazo na última sexta-feira para se entregar às autoridades para cumprir uma pena de prisão de nove meses determinada em 2018 — uma sentença que causou alvoroço na Espanha e levou o governo a anunciar que faria leis de liberdade de expressão menos restritivas.

Últimas