Brasília Distritais tentam votar ajuda de R$ 504 mi a empresas de transporte

Distritais tentam votar ajuda de R$ 504 mi a empresas de transporte

Mobilização ocorre depois de uma derrota na terça e uma sessão sem quórum ou apoiadores do governo na quarta

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Câmara Legislativa do Distrito Federal

Câmara Legislativa do Distrito Federal

Divulgação/CLDF

Distritais governistas se articulam para garantir quórum e votar projetos do Executivo nesta quinta-feira (5). A tarefa será difícil, pois as quintas são os dias mais parados para o plenário da CLDF (Câmara Legislativa do Distrito Federal). A movimentação ocorre depois que o grupo da oposição derrubou a sessão de terça (3), impedindo a votação de projetos do governo, e foi o único a comparecer na plenária desta quarta (4).

O vice-presidente da Casa, Rodrigo Delmasso (Republicanos) afirmou que os distritais tentam criar uma força-tarefa. “Estou me empenhando para isso”, garantiu. O comentário ocorreu após o parlamentar ser questionado sobre o destino do projeto que abre crédito suplementar para o transporte público.

O Projeto de Lei 2.539/2022 dá ao governo do Distrito Federal a autorização para fazer um repasse de R$ 504,89 milhões para as empresas de ônibus. O texto está na pauta da CLDF desde abril, mas segue sem acordo dos parlamentares. Para alguns distritais, há o temor de que o repasse tenha um efeito negativo para a imagem da Casa.

Significaria mais dinheiro dos cofres públicos para empresas sem melhoria nos serviços prestados. Por outro lado, o repasse é importante para garantir que não haverá aumento no preço das passagens de ônibus. Para o deputado Chico Vigilante (PT), que apoiou a obstrução de terça, o plenário deveria aguardar que todas as empresas enviem para a CLDF os contratos de renovação de frota de ônibus. 

Últimas