Minas Gerais MG: não há provas da circulação de nova variante do coronavírus

MG: não há provas da circulação de nova variante do coronavírus

Nova variante foi detectada em seis pacientes que foram transferidos de Manaus para um hospital de Uberaba em janeiro

  • Minas Gerais | Lucas Pavanelli, do R7

Resumindo a Notícia

  • Seis pacientes trazidos de Manaus (AM) tiveram a nova variante detectada
  • Governo de Minas diz que não há provas de circulação dessa cepa
  • Dezoito pacientes deram entrada no Hospital Regional de Uberaba e oito morreram
  • Exames de sequenciamento genético foram divulgados nessa semana pela Funed
Dez pacientes levados para Uberaba tiveram alta e já estão em Manaus

Dez pacientes levados para Uberaba tiveram alta e já estão em Manaus

Reprodução / André Soares / Uberaba

O Governo de Minas não vê com preocupação o resultado dos exames de sequenciamento genético feitos pela Funed (Fundação Ezequiel Dias), que confirmou que seis pacientes que foram transferidos de Manus para o Hospital Regional de Uberaba, a 474 km de Belo Horizonte, estavam infectados pela nova variante do coronavírus.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, o fato já era esperado pelas autoridades sanitárias, afinal, mais de 90% dos casos de covid-19 no Amazonas são de pacientes infectados com essa nova variante. 

No entanto, segundo ele, isso não significa que a cepa esteja em circulação no Estado. 

— Lá, 91% dos casos são da nova variante. Então, nada mais previsível e esperado que os pacientes já estivessem com ela. Mas, até agora, não há nada, nenhuma evidência que se possa falar que a nova variante esteja circulando em Minas, proveniente desses casos. 

De acordo com o secretário, os pacientes tiveram acompanhamento sanitário e monitoramento durante todo o período em que estiveram internados em Uberaba. Os dezoito pacientes que foram transferidos da capital amazonense para a cidade do Triângulo Mineiro, no fim de janeiro, ficaram em duas alas separadas do Hospital Regional. Oito deles não resistiram às complicações causadas pela doença e morreram. Os outros 10 se curaram, tiveram alta e foram transferidos de volta para Manaus. 

Ainda de acordo com Amaral, no entanto, não dá para descartar que a variante esteja circulando pelo país. 

— O país tem trânsito de pessoas e é possivel que ela ja esteja circulando de forma global no país. Pode haver, mas no momento ainda não há provas. 

Últimas