O fim da linha

Obras paradas pelo Brasil consomem bilhões para ligar nada a lugar nenhum

Trecho da Transnordestina

Trecho da Transnordestina

Divulgação/Record TV

Perdi a conta da quilometragem, mas nas últimas duas semanas rodei muito para fazer três reportagens. São Paulo, Ceará, Pernambuco... Até aí tudo bem, faz parte da profissão ir atrás da notícia. Mas quando essa rodagem significa o tamanho do dinheiro jogado no lixo, aí a coisa começa a ficar preocupante. Me senti viajando em cima de notas de dinheiro. Tipo quando se dá aquela acelerada num carro 3.0 Turbo num país onde a gasolina custa 7 reais, sabe?! Cada pisada é uma fortuna...

Ficou confuso? Eu explico.

O Brasil tem dezenas de construções gigantes que custaram muito dinheiro público e nunca foram concluídas. Obras que deveriam justamente encurtar os deslocamentos... Quilômetros e quilômetros de ferrovias, rodovias e até um monotrilho, que continua sendo raro no Brasil.

Eu fiquei impressionado com o tamanho e a grandiosidade dessas construções faraônicas pensadas para resolver os problemas de transporte, mobilidade urbana, trânsito... Bilhões de reais para: ligar o nada a lugar nenhum.

Olha só a Transnordestina, ferrovia que deveria ligar o Piauí aos portos de Pecém no Ceará e Suape em Pernambuco. A obra foi inaugurada em 2006 e... Está lá. Inacabada até hoje. Se os trilhos fossem trocados por dinheiro, seriam mais de 1200 quilômetros de notas. Qualquer que fosse o valor dessas notas seria muito né?! Não to falando de 1200 metros... To falando de 1200 quilômetros!!!!

Ah Leandro, mas a obra é incrível, importante, fundamental. Sim! Mas parada não serve para nada e já tem mais de 10 anos de atraso.

O trecho norte do Rodoanel em São Paulo vai para 26 anos de espera. O monotrilho que deveria ter ficado pronto para a Copa de 2014, até agora, nada.

Entra governo, sai governo e a viagem fica mais longa. Novas promessas, novas datas, novos atrasos. Sabe aquela máxima: "Dinheiro público não é de ninguém"? Cabe bem aqui.

O que me pergunto é quem fiscaliza a obra pública... ? Outro dia ouvi de um especialista que o brasileiro aplaude o projeto e não o resultado. É verdade. Mal comparando: É tipo aquele cara que enche o tanque do carro velho da empresa com a gasolina mais cara só porque ele é amigo do dono do posto. O dinheiro não é dele mesmo... Quem sabe o dono do posto não compartilha essa ajudinha?!

A quantidade de problemas judiciais que envolvem as obras, de dinheiro gasto acima do planejado, de empreiteiras que decretam falência depois de terem recebido a grana do governo é interminável. É inevitável pensar que falha de projeto não existe. O que existe é um projeto pensado para dar errado e fazer o dinheiro público escorrer pelo ralo. Lembra do carro gastão? É isso.

Nessa viagem, se eu estivesse pagando o combustível com certeza pensaria antes de escolher o carro porque o fim da linha ainda está bem distante.

Últimas